IBTEL Instituto Bíblico Teológico Elohim

domingo, 19 de janeiro de 2014

Explicando as Aparentes Contradições na Bíblia.


As pessoas nos perguntam: a bíblia tem contradições? Se tem, ela não é a Palavra de Deus. A bíblia é um livro enigmático que contem expressões idiomáticas em todas as suas páginas, por isso requer que o Espírito nos revele a verdade através de estudos sinceros da palavra para podermos compreende-las e assim solucionar as aparentes discrepâncias. Aí vai algumas delas.

 Quantas gerações foram contadas entre o exílio e Cristo:
quatorze ou treze?
PROBLEMA: Mateus diz que "desde o desterro de Babilônia até Cristo, (são)
catorze" gerações (1:17). Entretanto, ele menciona apenas 13 nomes depois do
exílio. Então, qual é o correto, treze ou quatorze?
SOLUÇÃO: Ambos estão corretos. Jeconias é contado nas duas listas, já que
ele viveu tanto antes como depois do exílio. Portanto, há literalmente 14
nomes na lista "desde o exílio na Babilônia até Cristo", tal como diz Mateus. Há
também literalmente 14 nomes na lista entre Davi e o exílio, tal como afirma
Mateus 1:6-12. Não há erro no texto, absolutamente.

MATEUS 24:34 - Jesus errou quando afirmou que os sinais do tempo do fim
se cumpririam em sua era?
PROBLEMA: Jesus falou de sinais e maravilhas no que diz respeito à sua
segunda vinda. Mas ele disse que "esta geração" não passaria, sem que tudo
isso acontecesse. Isso quis dizer que esses eventos aconteceriam durante a vida
dos que o ouviam?
SOLUÇÃO: Esses eventos (i.e., a Grande Tribulação, o sinal da volta de Cristo
e o fim dos tempos) não ocorreram nos dias de seus ouvintes. Portanto, é
racional entendermos que o seu cumprimento se dará ainda no futuro. Essa
questão requer um exame mais cuidadoso do significado de "geração", quanto
a sentidos diferentes relativamente aos contemporâneos de Jesus.
Primeiro, "geração" em grego (genea) pode significar "raça". Nessa
situação específica, a afirmação de Jesus poderia significar que a raça judia
não passaria até que todas as coisas se cumprissem. Por haver muitas
promessas a Israel, inclusive a da herança eterna da terra da Palestina (Gn 12;
14-15; 17) e do reino Davídico (2 Sm 7), Jesus poderia estar se referindo à
preservação da nação de Israel por Deus, de forma a cumprir com as
promessas feitas a Israel.
De fato, Paulo fala de um futuro da nação de Israel, quando eles serão
restabelecidos nas promessas do pacto de Deus com eles (Rm 11:11-26).
A resposta de Jesus à última pergunta de seus discípulos levava em conta que
haveria um futuro reino para Israel, quando eles perguntaram: "Senhor, será
este o tempo em que restaures o reino a Israel?" Em vez de repreendê-los por
falta de compreensão, Jesus respondeu: "Não vos compete conhecer tempos
ou épocas que o Pai reservou pela sua exclusiva autoridade" (At 1:6-7).
Segundo, "geração" poderia referir-se também a uma geração em seu
sentido usual, de pessoas vivendo no tempo indicado. Nesse caso, a palavra se
referiria às pessoas que estarão vivas quando essas coisas acontecerem no
futuro. Em outras palavras, a geração que estiver viva quando essas coisas
começarem a acontecer (o abominável da desolação [v. 15], a grande
tributação, tal como nunca houve antes [v. 21], o sinal do Filho do Homem no
céu [v. 30] etc.) permanecerá viva até quando esses juízos se completarem.
Portanto, já que comumente se crê que, no fim dos tempos, a tribulação terá a
duração de sete anos (Dn 9:27; cf. Ap 11:2), Jesus estaria dizendo que "esta
geração" que estiver vivendo a tribulação ainda estará viva no seu final.
Sob qualquer hipótese, não há razão alguma para se considerar que
Jesus tivesse feito a afirmação, obviamente falsa, de que o mundo terminaria
dentro do período de vida dos seus contemporâneos.


Através de um exame das Escrituras podemos chegar a uma conclusão. Abíblia não se contradiz.

A Paz do Senhor!

prof°: Euler lopes    Referências Bíbliográficas.   Manual de duvidas e contradições da bíblia deNorman Geisler - Thomas Howe.